ALTERNATIVAS AOS PARABENOS

 

          Hoje em dia consegue-se encontrar uma vasta gama de conservantes que podem ser usados, em substituição dos parabenos, nos diversos produtos. Na verdade existem essencialmente dois grupos de conservantes, num podemos incluir compostos com um perspetiva mais história e que são usados rotineiramente como o formaldeído, quaternium-15, imidazolidinil ureia, diazolidinil ureia e dimetil hidantoína. Noutro grupo podemos incluir compostos naturais que apresentam características antimicrobianas, permitindo que sejam usados como conservantes, como é o caso do timol, cinamaldeído, alil isotiocianato, ácido cítrico, ácido ascórbico, extrato de rosemary e extrato de sementes de uva.
         

           Mas, apesar deste último grupo ter conseguido maior enfase nos últimos tempos, ainda não existem estudos suficientes que comprovem a sua segurança. Bem pelo contrário, existe um alerta relativamente ao uso do extrato de sementes de uvas. O problema está no facto que quando são comercializados são adicionados aditivos sintéticos, como o cloreto de benzalconio, apesar de serem intitulados como extratos naturais. O cloreto de benzalconio é um inibidor da CYP3A4, que é uma enzima do citocromo P450, envolvida da metabolização de diversos fármacos, o que vai-se traduzir em interações com certos medicamentos, como a varfarina (Brandin et al., 2007).

 

          Mas os conservantes referidos no primeiro grupo, apesar de serem usados há mais tempo, têm-se revelado como causadores de dermatites alérgicas. E o formaldeído tem recebido especial atenção por parte dos investigadores, uma vez que têm surgido alguns estudos que estabelecem uma relação entre o uso do mesmo e o risco de aparecimento de cancro da pele. Defende-se que o formaldeído interfere na reparação do DNA, sendo que este mecanismo é muito importante na função de defesa desempenhada pela pele (Luch et al., 2014).

 

 

 

  • Brandin, H., Myrberg, O., Rundlöf, T., Arvidsson, A.-K., and Brenning, G. (2007). Adverse effects by artificial grapefruit seed extract products in patients on warfarin therapy. Eur. J. Clin. Pharmacol. 63, 565–570.

  • Luch, A., Frey, F.C.C., Meier, R., Fei, J., and Naegeli, H. (2014). Low-Dose Formaldehyde Delays DNA Damage Recognition and DNA Excision Repair in Human Cells. PLoS ONE 9, e94149.